Ordem dos Cartuxos

Retiros

Só os candidatos eventuais à vida cartusiana podem fazer um retiro vocacional no mosteiro, após um acordo prévio com o Prior ou com o Padre Mestre da casa (ver detalhes abaixo).

Retiros espirituais

A vocação solitária não nos permite receber para um retiro no mosteiro a quem procura apenas uma renovação espiritual. Mas existem, contudo, duas possibilidades para fazer um retiro no espírito de São Bruno.

Maison St Bruno

Alguns podem ver na criação da Casa São Bruno, confiada a alguns leigos ligados à Ordem dos cartuxos, um sinal da Providência, e até mesmo uma graça especial recebida de Deus, em um abrir e fechar de olhos, por mediação de Bruno, com destino aos seus amigos leigos. A idéia de dedicar essa Casa, de longa história cartusiana, foi apresentada e aceita no Capítulo Geral de 2001, no ano mesmo do nono centenário da morte de São Bruno (6 Outubro de 1101 - de 2001).

Esta comunidade da França, pode receber em retiro homens e mulheres, desejosos de viver um retiro numa cela cartusiana. O conjunto do ritmo da vida dessa Casa aproxima-se tanto quanto possível do da vida cartusiana.
Para mais detalhes, ver o sítio http://selignac.chartreux.org

Retiros de discernimento à vida cartusiana

Como se diz mais acima, a nossa vocação solitária só nos permite aceitar para retiro os candidatos que pensam numa possível vocação cartusiana. Um mínimo de discernimento é, contudo, necessário para assegurar-se de que tal retiro é oportuno.

O candidato deve, por conseguinte, fazer-se conhecer suficientemente e escrever para explicar o seu pedido, assim como dar algumas informações sobre a sua idade, os seus estudos, a sua situação atual no plano familiar e profissional. Por último, e sobretudo, explicará a sua caminhada para a vida religiosa (desde quando o pensa? Teve contacto com outros mosteiros? Como conheceu a Cartuxa? Etc.) Para aqueles que tenham dificuldade de fazer isso por escrito, se não moram longe, é possível vir meio dia ao mosteiro para falar com o Padre Mestre.

Desejamos igualmente que o candidato nos faça chegar um informe a seu respeito dum padre ou religioso que o conheça de perto e que possa confirmar a seriedade da sua aspiração. Se esta aspiração à vida religiosa foi seguida desde certo tempo por um padre espiritual, é desejável que seja ele mesmo quem possa contatar conosco.

Quando no intercâmbio desta primeira etapa parece recomendável de fazer um retiro, duas situações são possíveis :

  • Se o candidato só deseja um simples contacto, pode-se fazer um retiro de uma semana ou até quince dias. Nenhuma decisão poderá ser tomada à saída de tal prova.
  • Se o candidato deseja um retiro de discernimento, é necessário prever duas semanas ou melhor três. Não pedimos nada para estes retiros, mas o candidato deve pagar ele mesmo a sua viagem de ida e volta, e prever, por conseguinte, que tem de amortizar o bilhete de regresso. Os detalhes serão comunicados pela Casa com a que tenha contatado.

Candidatos d'outros países diferentes do Brasil

Os candidatos que vêm de países diferentes do Brasil têm que fazer frente a condições especiais.

Não é possível ao mosteiro pagar a viagem para um retiro, devido às despesas elevadas que isso representa, ao número de pedidos que nos chegam e ao fato de a maior parte das vezes esta viagem ser inútil; com efeito, apenas um quarto dos que recebemos a fazer um retiro no mosteiro escolhe fazer um postulantado. É, por conseguinte, necessário fazer primeiro um discernimento bastante acentuado no lugar. Este discernimento comporta vários elementos :

  1. O candidato deve dar-nos uma exposição suficientemente detalhada da sua vida e suas motivações: Idade, família, estudos, trabalho, centros de interesse, relações com os outros (amigos e amigas). Recepção dos sacramentos: Batismo, Crisma. Pedir à paróquia de batismo os certificados correspondentes. Encaminhamento da sua vocação: Em que época da sua vida apareceu pela primeira vez, em que circunstâncias? Quais foram as suas etapas: leitura, contacto com religiosos, retiros, etc. Como conheceu a Cartuxa? Dimensões atuais da sua vida cristã (compromisso com a paróquia, obras caritativas, oração pessoal, vida de oração, Lectio Divina, etc.).
  2. O candidato deve fornecer um atestado de saúde vindo de um médico ou hospital.
  3. O candidato deve dar-nos as referências pelo menos de um (preferivelmente dois) padre(s) ou religioso(s) que o conheçam bem e que possa(m) garantir a seriedade da sua diligência. É desejável que esse(s) padre(s) tenha(m) um conhecimento suficiente da vida monástica contemplativa.
  4. Se a correspondência com os padres de que se acaba de falar incita a prosseguir o estudo de uma possível vocação, o candidato deverá fazer no seu país ou num país próximo um retiro suficientemente prolongado (um mês ou mais) em condições de solidão próxima da nossa vida. Deverá para isso dirigir-se a um mosteiro beneditino ou cisterciense que aceite, em relação conosco, levá-lo a fazer este retiro em condições um pouco especiais, e acompanhado por um monge susceptível de fazer um primeiro discernimento. Somente após estas quatro etapas, se elas decorreram de forma suficientemente positivas, se poderia evocar a possibilidade de ingressar numa Cartuxa.

Para isso vários elementos devem ainda ser tomados em consideração :

  1. Despesas de viagem.
  2. Obtenção do visto: é uma diligência que pode ser longa. Não basta vir com um visto de turista que não permitiria o estabelecimento de uma autorização de residência. Um visto de longa duração é necessário e, para isso, é necessário que o candidato tenha um passaporte válido e um certificado fornecido pelo mosteiro, assumindo a responsabilidade.
© 1998-2019 Ordem dos Cartuxos • Informações legaisContato